WhatsApp: (47) 9.9956-2326 E-mailcontato@adam.net.br

Vídeo – Lei Mediação e Arbitragem – Jornal Nacional

Vídeo – Lei Mediação e Arbitragem – Jornal Nacional

28 set, 2013 | Adam, Adam Sistemas, AdamNews, Arbitragem, Mediação, Notícias, Vídeos | 0 Comentários

Uma alternativa usada em vários países para desafogar a Justiça, pode virar lei no Brasil também. É a prática da mediação. Um grupo de juristas terminou, nesta sexta-feira (27), uma proposta para ser encaminhada ao Congresso Nacional.

José Gabriel Furtado não conseguiu pagar um empréstimo. Tentou negociar, mas o banco foi para a Justiça. Ele conta que a ação que se arrastava há sete anos foi resolvida em uma sessão de mediação nesta sexta (27).

“Em questão de duas horas, com a mediadora dando toda a assistência, se resolveu da melhor forma possível”, conta o propagandista José Gabriel Furtado.

O Brasil ainda não tem uma lei que trate da mediação. Apesar disso, ela já é praticada informalmente. Essa é uma alternativa já usada por vários países para dar soluções mais rápidas para os conflitos do dia a dia e desafogar a Justiça, que, no caso brasileiro, recebe 90 milhões de processos por ano.

Esse grupo de juristas terminou nesta quinta a proposta de uma lei para a mediação e a revisão da atual lei de arbitragem, outra forma de solucionar pendências fora dos tribunais.

A mediação é para os casos mais simples, como briga de vizinhos, problemas na compra e venda de produtos. O mediador facilita a negociação para que os envolvidos cheguem a um acordo, mas ele não tem poder de decidir.

Já a arbitragem é mais aplicada a questões empresariais e comerciais, normalmente de grande porte. O árbitro – que é pago pelas partes – decide a questão e o que ele determina tem força de uma decisão judicial.

Os juristas estenderam a arbitragem para contratos com a administração pública, como os investimentos para a Copa e os do pré-sal. E também para alguns casos de direito trabalhista.

“O judiciário nunca vai ter um problema com a arbitragem, ao contrário, é uma força auxiliar importantíssima. E a mediação, quando um terceiro, imparcial tenta estimular a que as partes possam solucionar os seus conflitos, essa mediação nós acreditamos que se ela for anterior à propositura da ação, ela vai desafogar muito o quantitativo de novas causas”, destaca o ministro do Superior Tribunal de Justiça Luís Filipe Salomão.

A proposta dos juristas vai ser encaminhada ao Congresso na próxima quarta-feira. Para virar lei, ela tem que ser aprovada pela Câmara e pelo Senado.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

20 − doze =

Usamos cookies para garantir uma melhor experiência em nosso site. Leia nossa Política de Privacidade.
Você aceita?

Configurações de Cookie

A seguir, você pode escolher quais tipos de cookies permitem neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FuncionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalíticoNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de a.o. a usabilidade.

Mídia SocialNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

PublicidadeNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OutrosNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.