WhatsApp: (47) 9.9956-2326 E-mailcontato@adam.net.br

OAB auxiliará comissão de juristas que estuda nova Lei de Arbitragem

OAB auxiliará comissão de juristas que estuda nova Lei de Arbitragem

17 jun, 2013 | Adam, Adam Sistemas, AdamNews, Arbitragem, Mediação, Notícias | 0 Comentários

Brasília – O ministro do Superior Tribunal de Justiça Luís Felipe Salomão, presidente da comissão de juristas formada pelo Senado para elaborar mudanças na Lei de Arbitragem (Lei 9.307/1996), solicitou o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aos trabalhos do grupo. “A ideia é criar, no campo da arbitragem, uma lei à altura da situação que o Brasil ostenta hoje no cenário internacional. Já temos uma lei eficiente, que funciona, mas que precisa de alguns aprimoramentos”, disse o magistrado, na sessão desta segunda-feira (10) do Pleno Conselho Federal da OAB, conduzida pelo presidente nacional da entidade, Marcus Vinicius Furtado. A reunião contou ainda com a participação dos ministros do STJ Antonio Carlos Ferreira, Sebastião Reis Júnior e João Otávio Noronha.

Segundo explicou o ministro, o objetivo é normatizar a mediação no Brasil, hoje feita somente na esfera judicial e por meio de mutirões eventuais. “Precisamos regulamentar a mediação privada, tomando por base a legislação internacional que já existe sobre o assunto”, afirmou o ministro, para quem, ao contrário de algumas correntes, a perspectiva é de ampliação do mercado de trabalho, “por isso o apoio dos advogados é fundamental”.

O ministro Salomão ressaltou os benefícios que, em seu entendimento, podem advir da adoção das soluções alternativas de conflitos. “Não se tem mais uma única porta para a solução dos problemas. Efetivamente há o que se chama de múltiplas portas e essas soluções alternativas se incluem nesse aspecto e são uma tendência mundial. Para nós é bom, porque desafoga o Judiciário, e, para os advogados, amplia o mercado de trabalho.”

Os pontos positivos da mediação e da modernização da Lei de Arbitragem foram destacados também pelo presidente da Comissão de Arbitragem da OAB, Aldemar Motta, conselheiro federal por Alagoas. “Peço a todos que olhem a mediação e a arbitragem com olhos de futuro, com olhos de resolução de problemas crônicos da nossa Justiça, como morosidade, por exemplo”, disse.

Ao agradecer a participação do ministro Luís Felipe Salomão na sessão plenária do Conselho Federal, o presidente da OAB Nacional colocou a entidade à disposição da comissão de juristas e conclamou os conselheiros federais e os advogados de todo o País para colaborarem com as atividades do grupo. “O mundo está discutindo esta matéria e o Brasil também deve discuti-la”, afirmou Marcus Vinicius, que aproveitou a oportunidade para enaltecer a forma de trabalho dos ministros do STJ presentes à sessão em relação aos advogados. “São magistrados que respeitam as prerrogativas, que recebem os advogados e que tratam os profissionais da advocacia com igualdade. Conclamo esses ministros a espraiarem esse comportamento aos demais magistrados em todo o País.”

O ministro Luís Felipe Salomão respondeu sublinhando a importância do debate franco e altivo entre a advocacia e a magistratura. “Os advogados têm o mesmo ideal que os magistrados, que é o de uma Justiça forte e independente. Se preservado o diálogo, poderemos sim avançar nos bons propósitos”, enfatizou, ao lembrar também do papel fundamental dos advogados para a Justiça brasileira. “Não há efetivamente um Judiciário digno desse nome, que se respeite e se faça respeitar, sem uma advocacia forte, altiva e independente, que é o papel os senhores aqui reunidos representam”, concluiu o ministro.

Fonte: OAB

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

11 + 14 =

Usamos cookies para garantir uma melhor experiência em nosso site. Leia nossa Política de Privacidade.
Você aceita?

Configurações de Cookie

A seguir, você pode escolher quais tipos de cookies permitem neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FuncionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalíticoNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de a.o. a usabilidade.

Mídia SocialNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

PublicidadeNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OutrosNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.