WhatsApp: (47) 9.9956-2326 E-mailcontato@adam.net.br

Construção da jurisprudência em pauta no seminário que debate internacionalização da Câmara Ciesp/Fiesp

Construção da jurisprudência em pauta no seminário que debate internacionalização da Câmara Ciesp/Fiesp

29 maio, 2013 | Adam, Adam Sistemas, AdamNews, Arbitragem, Notícias | 0 Comentários

Painel foi presidido pela ministra Ellen Gracie e contou com palestrantes do Brasil, do Chile e de Portugal
Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Ellen Gracie: ‘Jurisprudência é importante especialmente nas arbitragens que dizem respeito a questões homogêneas, como da construção civil e naval’. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“O papel das instituições de arbitragem na construção da jurisprudência arbitral” foi o tema do primeiro painel do Seminário – Internacionalização da Câmara de Conciliação, Mediação e Arbitragem do Centro e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp e Fiesp), realizado nesta segunda-feira (27/05) no Teatro do Sesi-SP. O debate foi presidido pela ministra Ellen Gracie, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal e vice-presidente da Câmara Ciesp/Fiesp.

“É uma oportunidade de pesar e medir as tensões que existem entre a necessidade de confidencialidade, que é inerente à arbitragem, e da divulgação do resultado da arbitragem, para a formação de uma jurisprudência”, afirmou a ministra.

“A jurisprudência é importante especialmente nas arbitragens que dizem respeito a questões homogêneas, como da construção civil e naval, os resultados e soluções podem ser reproduzidas. Também para as questões processuais e procedimentais, garantia do devido processo, de igualdade entre as partes, o assegurar a todos o seu direito de falar. É para isso que se deseja uma divulgação da decisão das câmaras arbitrais”, concluiu.

Procurador do Estado do Rio de Janeiro, Lauro Gama e Souza Junior, defendeu que a criação da jurisprudência é fundamental para o processo de internacionalização. “Sistematizar e publicar a jurisprudência arbitral é necessário para ajudar a conhecer o funcionamento da instituição por meio das decisões proferidas, para auxiliar a compreensão e o aperfeiçoamento de questões típicas da arbitragem e ainda para divulgar o conhecimento, o entendimento sobre temas essenciais do comércio jurídico contemporâneo.”

Com base na experiência de arbitragem em outros países, o advogado português Lauro da Gama e Souza Junior também se mostrou a favor da publicação das decisões para construir a jurisprudência. “Há uma tendência de que os casos mais importantes, juridicamente mais sofisticados, mais estimulantes para o progresso do direito estão se transferindo para a arbitragem internacional e não tanto na jurisdição estadual”, afirmou.

“Se vocês somarem o caráter distintivo das questões que são tratadas com a qualidade daqueles que estão tratando dessas questões, é óbvio que as sentenças arbitrais constituem um tesouro que está escondido no fundo do oceano do direito.”

O advogado chileno Cristián Conejero Roos também dividiu seu conhecimento na arbitragem internacional, defendendo a necessidade da criação de precedentes e publicação de sentenças. “Com a construção de um sistema de precedência, acredito que possamos ir mais longe na questão da arbitragem no Brasil.”

Conejero também falou sobre o risco de judicialização das decisões, após ser perguntando pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça, Sidnei Benetti. “Como a lei da arbitragem brasileira confere um âmbito muito grande de poder aos árbitros, a possibilidade de judicialização é muito limitada.”

Fonte: FIESP 28/05/2013

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois × 3 =

Usamos cookies para garantir uma melhor experiência em nosso site. Leia nossa Política de Privacidade.
Você aceita?

Configurações de Cookie

A seguir, você pode escolher quais tipos de cookies permitem neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FuncionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalíticoNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de a.o. a usabilidade.

Mídia SocialNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

PublicidadeNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OutrosNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.