(47) 3041-2326 / 99956-2326 contato@adamtecnologia.com

A Conciliação Como Forma de Realização da Justiça

A Conciliação Como Forma de Realização da Justiça

4 dez, 2015 | Adam, AdamNews, Conciliação, Notícias | 0 Comentários

AdamNews – Divulgação exclusiva de notícias para clientes e parceiros!
Assim como os conflitos decorrem da própria existência da raça humana, a conciliação decorre dos conflitos.
Onde há conflitos, poderá haver uma conciliação. A conciliação é um ato processual, através do qual os interesses conflitantes entre as partes se harmonizam, mediante intervenção do Juiz. Trata-se de uma composição amigável do litígio, pela sugestão das partes ou por proposta formulada pelo juiz, que põe fim à lide.
Através dela o conflito é solucionado pelos interessados, promovendo a satisfação para as partes. Em contrapartida, a Justiça tradicional é basicamente adversarial e controlada pelo Estado.
A conciliação, como premissa, se faz presente nas diversas espécies de Processos. Assim, mister a postura de cada um dos operadores direito no compromisso social com a conciliação.
Em se tratando do advogado, ao ser investido no exercício da profissão, este assume o compromisso de exercer a advocacia com dignidade e independência, observar a ética, os deveres e prerrogativas profissionais e defender a Constituição, a ordem jurídica do Estado Democrático, os direitos humanos, a justiça social, a aplicação das leis e a rápida administração da justiça.
A luta pela justiça deve ser uma busca constante. Como bem disse Jorge Couture, em seu Decálogo, no IV mandamento: “O teu dever é lutar pelo Direito, mas no dia em que encontres um conflito entre o Direito e a Justiça, luta pela Justiça.”
Esta pois é a função principal de cada um dos operadores do direito: a luta pela Justiça!
Desta forma, juiz, promotor e advogado passam a ser um instrumento de transformação social, sendo que a advocacia como profissão possui status constitucional, por força do art. 133 da Constituição Federal/88 que preceitua: “O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei.”
Assim, se o magistrado no exercício de sua função, busca promover a conciliação entre as partes, em busca da efetiva prestação jurisdicional, visando a composição do litígio em razão da justiça e da paz social, o advogado, que também exerce função pública para realização da Justiça, tem o dever de incentivar e promover o fim da demanda, mediante conciliação.
Cada um dos operadores do direito, assim como o advogado devem ter consciência de que o Direito é um meio de mitigar as desigualdades para o encontro de soluções justas e que a lei é um instrumento para garantir a igualdade de todos.
A conciliação deve ser encarada como uma forma de efetivação de Justiça, pois, atuando em caráter preventivo, antecipa a solução da demanda, trazendo satisfação para as partes, evitando assim, prejuízos.
A paz é sonho de cada um. Desta forma, se a prestação jurisdicional efetiva, através da conciliação é componente da Justiça Social para construção da paz, oxalá que todos nós, operadores ou não do Direito, busquemos o compromisso com a conciliação, sempre que possível.
Por Lilian Renata de Almeida Turcato
Fonte: Jornal Noroeste

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

12 + 4 =

Usamos cookies para garantir uma melhor experiência em nosso site. Leia nossa Política de Privacidade.
Você aceita?

Configurações de Cookie

A seguir, você pode escolher quais tipos de cookies permitem neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FuncionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalíticoNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de a.o. a usabilidade.

Mídia SocialNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

PublicidadeNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OutrosNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.